Creatina Não Previne Perda de Massa Muscular

A suplementação com creatina é bem documentada na literatura científica. Principalmente quando o objetivo é aumento da potência muscular anaeróbica, que nada mais é do que promover maior capacidade de contração “explosiva” muscular em um curto espaço de tempo: lutas, corridas de curtas duração…uuuhul Usain Bolt! Sprints e musculação.

Seu uso também está associado ao ganho de massa muscular. Porém a creatina não atua como via direta na geração de hipertrofia muscular. Ela atua indiretamente melhorando o ambiente metabólico associado ao desencadeamento dos sinais celulares do ganho de massa muscular.

Ora, se eu tenho mais força, maior capacidade contrátil e melhor recuperação muscular, eu consigo mecanicamente “treinar” melhor, causar mais microlesões, estimular mais células satélites e com isso gerar mais hipertrofia, contudo indiretamente. Fazendo um paralelo, que exerce ação direta por exemplo seria a ingestão de proteínas de alto valor biológico.

Sabe-se que o ganho de massa muscular sofre oscilação com o catabolismo muscular ao longo do dia. Embora as taxas de anabolismo sejam 6X maiores, reduzir o catabolismo é desejável para manutenção do shape espartano e afrodizíaco. Nesse sentido, algumas pessoas acreditam que consumir creatina pode reduzir o catabolismo muscular.

Indo direto ao assunto, ISSO NÃO ACONTECE. Ou seja, do ponto de vista de ganho ou preservação de massa muscular não gaste dinheiro com creatina se você não treina! Lembre-se que os 2 principais agentes responsáveis pela redução da perda de massa muscular é a musculação e o consumo de proteínas de AVB. Outro aspecto importante é que a o catabolismo muscular é significativo apenas quando muitas variáveis estão influenciando o processo: doença, desuso, estresse, muitos dias sem treinar, alimentação precária, ausência de sono e recuperação adequada, overtraining, etc.

Conhecimento nunca “é de menos”. Bons treinos!

Referência:

Backx EM et al. Creatine Loading Does Not Preserve Muscle Mass or Strength During Leg Immobilization in Healthy, Young Males: A Randomized Controlled Trial. Sports Med. 2017 Jan 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *