Como Restringir Carboidratos Pode Ajudar Na Musculação

Carboidratos e gorduras são reconhecidos como os principais substratos utilizados pelo corpo para suprir a energia requisitada pelas contrações musculares durante a prática de exercício físico, seja aeróbio ou resistido (musculação). Apesar de carboidratos serem amplamente aceitos como combustível para o músculo esquelético, tanto durante como na sequência de exercícios de resistência, por exemplo, as investigações recentes introduzem uma nova abordagem metabólica:  treinar com níveis de glicogênio reduzido (Dietas lowcarb e/ou cetogênicas) otimizam adaptações musculares de eficiência de utilização do glicogênio e maior acionamento da queima de gordura (poupam glicogênio muscular e otimizam utilização de ácidos graxos, glicerol e corpos cetônios para geração de energia) aumentando a performance do exercício físico e taxas de emagrecimento.

Antes de continuar o post, gostaria de fazer um convite. A Citius montou um programa completo de emagrecimento. Feito para você que quer emagrecer de forma simples, eficiente e para sempre. Clique na imagem abaixo e confira:

Mas além disso, melhora do acionamento das vias energéticas induzidas pela adaptação a esse estilo alimentar pode ser uma estratégia para aumentar a resposta sinalizatória (enzimas e proteínas) do exercício, decorrente  do aumento da biogênese mitocondrial e capacidade oxidativa de queima de gordura (succinato desidrogenase e 3-hidroxiacil-CoA desidrogenase, citrato sintetase)  e, potencialmente, aumentar até mesmo a performance exercício. Ou seja, caso esteja adaptado você não precisa estar com os estoques de glicogênio muscular “cheios” para ter uma boa performance atlética, pelo contrário estar adaptado ao treino realizado sob baixo consumo de carboidratos melhora a ação dessas vias, o que poupa a necessidade de utilização de glicogênio muscular como fonte de energia e otimiza a queima de gordura como fonte predominante.

Lembrando que o glicogênio pode ser armazenado no fígado (~ 100 g) e músculos (~350-700 g; dependendo no estado de treinamento, a dieta, a composição muscular tipo de fibra, sexo e peso corporal).

Portanto, tanto a redistribuição da quantidade de carboidratos ingeridos quanto a prática de exercícios físicos realizada nessa condição são capazes de melhorar a utilização dos substratos. Lembre-se o metabolismo é único, o que muda é a forma de estimulá-lo, seja pela alimentação ou pela prática de exercício físico.

Referências:

1. Knuiman et al. Glycogen availability and skeletal muscle adaptations with endurance and resistance exercise Nutrition & Metabolism (2015) 12:59.

2. Cermak NM, van Loon LJ. The use of carbohydrates during exercise as an ergogenic aid. Sports Med. 2013;43:1139–55.

3. Camera DM, Hawley JA, Coffey VG. Resistance exercise with low glycogen increases p53 phosphorylation and PGC-1alpha mRNA in skeletal muscle. Eur J Appl Physiol. 2015;115(6):1185–94.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *