Consumo de Carboidratos e Hipertrofia

Basicamente, o glicogênio é a reserva de energia dos nossos músculos. Consiste numa combinação de moléculas de glicose, o açúcar disponível no sangue. Os carboidratos digeridos da alimentação podem ser armazenados sob a forma de glicogênio hepático (no fígado) e muscular. A manutenção da glicemia (taxa de glicose no sangue) entre as refeições é predominantemente regulada pelo hepático. Já o muscular, é capaz de fornecer imediata energia para os músculos exercitados durante intensidades altas e período de tempo moderado (sprints ou “tiros” de corrida, ciclismo, sucessivos levantamentos de peso). 

Sessões de musculação realizadas com níveis baixos de glicogênio muscular NÃO se mostram capazes de melhorar a sinalização celular anabólica ou de síntese de proteína muscular durante pelo menos 4 horas de pós-exercício[1]. A disponibilidade de glicogênio muscular é um fator que tem sido relacionado ao catabolismo muscular. Entretanto, essa relação se mostra associada a magnitude do trabalho (intensidade e duração da sua sessão de treino).

Estudo clássico, de Lemon and Mullin [2] (1980) demonstrou que o catabolismo muscular (análise do nitrogênio sérico) foi 2X MAIOR para indivíduos que malhavam com seus estoques de glicogênio muscular depletado quando comparados com os praticantes que apresentavam estoques “cheios”. É importante, ressalvar que indivíduos engajados em esportes cíclicos (corrida, ciclismo, remo) estão mais susceptíveis a depleção dos estoques de glicogênio muscular (e portanto devem se atentar mais a esse aspecto, pois provavelmente também realizam trabalhos de fortalecimento muscular de base) que os indivíduos que realizam, por exemplo musculação.

Calma, calma, Você Andróide Espartano Terminator que TREINA suando SANGUE AO INVÉS DE água, também depleta glicogênio muscular, ok? Mas a magnitude de depleção é menor. Treinos de musculação de alta intensidade mostram menores índices de depleção ( MÉDIA de aproximadamente 35%, entretanto, DE NOVO, DE NOVO ( Não é a mamãe..!). A magnitude da depleção do glicogênio muscular na musculação pode ser maior em treinos de maior VOLUME [3]. Portanto, Pergunte para seu professor de educação física se o treino HARD CORE GINSU 2000, que ele prescreveu pra você, está de acordo com a DIETA prescrita pelo seu nutricionista, a interação desses fatores pode MELHORAR SEU RENDIMENTO E RESULTADOS.

Referências:

1. Camera DM et al. Low muscle glycogen concentration does not suppress the anabolic response to resistance exercise. J Appl Physiol 2012, 113(2):206–14.
2. Lemon PW, Mullin JP: Effect of initial muscle glycogen levels on protein catabolism during exercise. J Appl Physiol 1980, 48(4):624–9.
3. Roy BD, Tarnopolsky MA: Influence of differing macronutrient intakes on muscle glycogen resynthesis after resistance exercise. J Appl Physiol 1998, 84(3):890–6.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *