Oclusão Vascular: Um Fator Pouco Conhecido Para Aumentar Sua Hipertrofia

Você acredita que apenas movimentos com muito peso e alta intensidade geram hipertrofia? Você já ouviu falar da oclusão vascular?

Uma das vias de estimulação da hipertrofia muscular é a de mecanotransdução gerada pela contração do músculo esquelético envolvido principalmente em exercícios de musculação. Entretanto não ache que a hipertrofia muscular só ocorre através desse tipo de treinamento ou somente abarcando fibras do tipo II.

Exercícios com baixa carga e utilizando oclusão vascular:

Ainda em se tratando de exercícios resistidos aquela máxima que diz “quanto maior a carga maior os ganhos hipertróficos” não condiz com achados atuais da literatura. Que demonstra que exercícios resistidos realizados com percentuais baixos de carga ou utilizando estratégia de oclusão vascular, são igualmente capazes de gerar hipertrofia. Em alguns casos a manipulação das cargas ou estratégias de treinamento resultam em ganhos até maiores que cargas altas.   

Leia também:

30 Dicas de Hipertrofia

Como Estruturar um Treino Objetivando Hipertrofia?

Dado que diversos fatores estão associados sinergicamente aos gatilhos moleculares que suportam a síntese de proteínas musculares.  E também cronicamente a obtenção de hipertrofia muscular. Pesquisadores avaliaram se a execução de exercício resistido realizado sem carga poderia também gerar hipertrofia muscular, para isso utilizaram um grupo composto por homens e mulheres não treinados (intervalo mínimo de 6 meses) . O exercício avaliado consistia na flexão de cotovelo isocinética: vulgo “rosca direta”!  4 séries/20 repts/30” de intervalo, durante 3 meses. Contudo comente um lado sustentava 70%RM de carga. Para o membro contra-lateral SEM CARGA, foi orientado que os voluntários realizassem um acompanhamento do movimento de flexão realizando uma máxima contração “auto-regulada”.

Os resultados mostraram que os ganhos musculares do membro treinado com 70% da capacidade voluntária máxima, não foram diferentes do membro que realizou o movimento SEM CARGA. Embora, apresente algumas limitações como: avaliação hormonal e inflamatória, marcadores de responsividade, dieta e indivíduos não treinados. Contudo que não ofuscam a relevância dos achados! Muito pelo contrário subsidiam insights para futuros estudos. Os resultados abrem um tentador leque de perspectivas para essa intervenção: reabilitação neurológica e ortopédica, ou o estímulo muscular feito em casa quando a academia não abre né não Goku avatar mutante cyborg ?! Pelo menos para bíceps né? E aí o que você achou? Interessante não?

Referência:

Counts BR et al. The acute and chronic effects of “NO LOAD” resistance training. Physiol Behav. 2016 Jun 18;164(Pt A):345-352.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *