Jejum Intermitente Não É Passar Fome

Fazer jejum intermitente, melhora seu metabolismo. Ao melhorar o metabolismo, nosso corpo funciona melhor.

Como exemplo, temos o aumento da queima de gordura e ganho de massa muscular. “Tá bom ou quer mais?”

Existem diversas rotas metabólicas capazes de melhorá-lo. Dentre elas destacam-se a hormonal, inflamatória e imune. A alimentação, prática regular de exercícios físicos e aspectos psicológicos, são os 3 principais responsáveis pela melhora dessas rotas. Ou seja, a chave para melhorar o metabolismo encontra-se onde? Na identificação e prescrição correta de intervenções que contemplem de modo integrativo esses 3 componentes!

Antes de continuar o post, gostaria de fazer um convite. A Citius montou um programa completo de emagrecimento. Feito para você que quer emagrecer de forma simples, eficiente e para sempre. Clique na imagem abaixo e confira:

Voltando, o jejum intermitente é uma estratégia alimentar muito interessante. Principalmente para aqueles que tem dificuldade em realizar muitas refeições por dia! No mundo de hoje, isso engloba grande parte da população. Trabalho, estudo, “correria” do dia-a-dia, preparo dos alimentos, lavar louça, são algumas das justificativas que reforçam a adoção dessa estratégia. O que o nutricionista deve avaliar ao estabelecer um plano alimentar?

As necessidades nutricionais e energéticas de cada pessoa. Entretanto, o mais importe é contextualizá-las a realidade apresentada por quem deseja perder peso ou ganhar massa muscular. Se uma pessoa diz que sua realidade não permite muitas refeições ao dia; Por que então dizer que ele necessariamente precisa comer de 3 em 3 horas? Por exemplo, após a avaliação, um nutricionista identificou que uma mulher, em termos energéticos, necessita 2100 kcal/dia. (lembre-se que o mais importante é o teor nutricional da dieta e não as calorias). Ele pode optar por exemplo, em realizar 3 refeições de 700 kcal. É claro, que o teor dos nutrientes vai variar conforme os objetivos!

E não! Você não passará fome fazendo isso.

A gente explica melhor isso em nosso workshop! Clique no link e desfrute desse conhecimento de forma GRATUITA!

Referência:

Hellerstein MK. Alternate-day fasting and chronic disease prevention: a review of human and animal trials. Am J Clin Nutr. 2007;86:7–13

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *