Por que A Maiorias das Dietas Não Funcionam?

Em 2030 teremos mais de 3 bilhões de pessoas acima do peso ideal em todo mundo. E pensar que o ganho de peso é uma questão relacionada ao quanto consumimos de energia e o quanto gastamos diariamente é mediocremente vago.

O controle de nossas de todas as nossas reações metabólicas vem de nossos genes. Eles são diariamente, desde o dia em que você nasceu modulados pelos seus atos e pelo ambiente em que você vive. Uma pessoa que se movimenta ou se alimenta corretamente, dia após dia, envia a todo momento pulsos sinalizatórios que permitem inúmeros genes a direcionar comandos para o corpo, com o intuito de melhorar o funcionamento dos sistemas energéticos e por toda a vida. O contrário também acontece, sedentarismo e maus hábitos programam para um metabolismo de preservação de energia (o corpo entende que você preciso estocar energia).

Leia também:

O Que Emagrece Mais? Exercício Aeróbio ou Musculação?

Beber Água Emagrece?

Criar Altas Expectativas de Perda de Peso Ajuda nos Resultados?

Esse tem sido apontado pelos cientistas o porquê vivemos num mundo que não é magro. Pois nossos hábitos de vida, estão sendo negativamente causando prejuízo para o nosso funcionamento biológico. E por mais que entremos em uma dieta ou num programa de exercícios físicos, esses estão sendo insuficientemente capazes de modificar o metabolismo negativamente programado ao longo de nossa vida.

Contudo por mais que tenhamos perdido essa guerra, a alimentação adequada e a prática de exercícios físicos ainda são as melhores ferramentas regulatórias de nosso metabolismo, contudo é de suma importância identificar quais, dos inúmeros fatores responsáveis pelo ganho de peso, estão mais deletericamente expressos em nosso corpo, ou seja, quais deles tem um percentual maior nesse comando para ganharmos peso (inflamação, microbiota, atividade hormonal, estresse, distúrbios alimentares, etc). Entretanto, mesmo se não os identificar, mantenha um estilo de vida saudável, esse ainda é o melhor remédio.

Referência:

Goni L et al. Future Perspectives of Personalized Weight Loss Interventions Based on Nutrigenetic, Epigenetic, and Metagenomic Data. J Nutr, 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *