Praticar Corrida É o Segredo para a Longevidade

O título parece muito chamativo não é mesmo? Mas acaba de sair um estudo neste ano (2017), mostrando que incluir a corrida no seu estilo de vida pode ser a chave para a longevidade.

Afinal, corrida é bom ou ruim para a longevidade?

Ao longo dos últimos anos surgiram várias notícias, que afirmavam que correr não faz tão bem quanto imaginávamos. Alguns chegaram a dizer que correr pode até diminuir a longevidade.
Esse estudo veio para provar o contrário. E o mais interessante é que alguns dos autores costumavam afirmar que correr demais fazia mal. Depois dos dados da pesquisa eles mudaram o ponto de vista, e chegaram à conclusão que correr pode ser a chave para a longevidade. Interessante não é?

Leia também:

Como Melhorar Sua Performance na Corrida com Uma Simples Estratégia?

Quanto de Proteína é Necessário para Corredores de Longas Distâncias?

Quanto é possível viver mais?

A partir de uma análise feita pelos autores, eles chegaram a um dado fascinante: 1 hora de corrida lhe adicionará 7 horas de vida. Olha que legal, a cada 1 hora investida na corrida você estará ganhando 6 horas a mais de vida.

Então, você que é corredor e está lendo este texto, faça as contas ai pra saber quanto tempo de vida você já ganhou! E esses benefícios de “vida extra” ocorrem mesmo se você começou a correr já relativamente tarde em sua vida.

Mas é importante ressaltar que estes benefícios parecem valer apenas para aqueles que têm um volume pequeno a moderado de treinos de corrida. Aos corredores que percorrem distâncias como 160 km por semana ou mais, tais benefícios poderão não existir nessa magnitude. As pesquisas com corredores de elite ou ultra corredores ainda são controversos. Mas assim que sair alguma atualização sobre o assunto, nós traremos aqui para vocês!

E as outras atividades físicas?

Outro dado legal do artigo é que eles compararam quem fazia corrida com quem praticava outras modalidades de atividade física, relacionados à morte por qualquer causa. E o resultado foi que os corredores eram menos propensos a morte do que os praticantes de outras atividades físicas.

É importante saber sobre o estudo!

O artigo é uma revisão de estudos epidemiológicos publicados por pesquisadores americanos. Quem tem a prática de ler estudos científicos, sabe que estudos epidemiológicos não são aqueles que vão bater o martelo de vez, pois a partir deles não podemos traçar causa e efeito. Mesmo assim, os achados dos pesquisadores, foram bem interessantes!

O que você deve fazer a partir de agora?

Não fique parado! Pegue o seu par de tênis agora, uma roupa leve e vá correr!

Referência:

LEE, Duck-chul et al. Running as a Key Lifestyle Medicine for Longevity. Progress in Cardiovascular Diseases, 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *